fbpx

“Tentaram tirar meu mandato”, diz vereador Tucaninho após vencer ação de impugnação de mandato

Kendi Maeda, candidato a vereador derrotado nas eleições na cidade de Biritiba Mirim, sofreu mais uma derrota na Justiça Eleitoral. Inconformado com o resultado das urnas, Maeda entrou com duas ações para cassação dos vereadores eleitos, Tucaninho e Evandro, por suposta fraude na composição da chapa do Republicanos.

De acordo com Maeda, a candidata Irmã Neide, conhecida ativista política em Biritiba Mirim, teria sido usada pelo Republicanos para que o partido atingisse a cota de participação feminina.

Com a cassação dos vereadores Tucaninho e Evandro, e a anulação de todos os votos dos demais candidatos da chapa do Republicanos, Maeda acabaria ganhando a tão sonhada vaga na Câmara dos Vereadores.

Todavia, a Justiça Eleitoral rechaçou completamente a tese de Maeda e validou o resultado das urnas, garantindo os mandatos de Tucaninho, esse o mais votado na cidade, e Evandro.

A sentença da juíza Dra. Ana Cláudia de Moura Oliveira Querido acolheu a tese da defesa e do Ministério Público Eleitoral, e considerou que a escolha da candidata Irmã Neide se deu por opção partidária, e não para burlar o sistema de distribuição de vagas entre as mulheres. Essa é a segunda derrota de Maeda na Justiça Eleitoral.

Contatado pela reportagem, o vereador Tucaninho falou sobre o processo judicial e a sensação de justiça, pelo reconhecimento da legitimidade dos 544 votos que recebeu da população de Biritiba Mirim.

Vereador Marquinho Tucaninho
Vereador Marquinho Tucaninho

“Venci a eleição honestamente, fui o mais votado pelo povo nesta eleição, por mais que tentassem me tirar a cadeira, a Justiça Eleitoral reconheceu mais uma vez a nossa vitória. Vou trabalhar em dobro para honrar cada um dos votos que recebi”, comentou o vereador.

Segundo Leonardo Freire, advogado de Tucaninho e Evandro, os vereadores eleitos continuarão exercendo seus mandatos, pois mais uma vez o resultado das urnas foi reconhecido pela Justiça Eleitoral.

 Doutor Leonardo Freire
Doutor Leonardo Freire

“As eleições precisam ser ganhas no voto. O que tem que prevalecer é a vontade das urnas. Mudar essa vontade, só em casos excepcionais, e esse, decididamente, não é um caso excepcional, mas apenas mais um caso de inconformismo de quem perdeu as eleições”, concluiu o advogado.

Patrocínio
banner image