fbpx

Brasil

Operação da Polícia Federal resulta na prisão do presidente do PL, Valdemar Costa Neto, e ex-assessor de Bolsonaro

O presidente nacional do Partido Liberal (PL), Valdemar Costa Neto, fala com a imprensa no Centro de Eventos e Convenções Brasil, em Brasília.
O presidente nacional do Partido Liberal (PL), Valdemar Costa Neto, fala com a imprensa no Centro de Eventos e Convenções Brasil, em Brasília.

Nesta quinta-feira (8), a Polícia Federal realizou uma operação em dez estados do país, culminando na prisão em flagrante do presidente do PL, Valdemar Costa Neto, por porte ilegal de arma de  fogo. Além dele, um ex-assessor de Assuntos Internacionais da Presidência da República, Filipe Martins, e um ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro, Marcelo Câmara, foram detidos.

A ação da PF também teve como alvo o ex-presidente Jair Bolsonaro e ex-ministros como Braga Netto, Anderson Torres, Augusto Heleno e Paulo Sérgio Nogueira. A operação investiga suposta participação de pessoas em um plano de golpe de Estado e abolição do Estado democrático de Direito para manter o ex-chefe do Executivo no poder.

Além das prisões, os agentes cumpriram mandados de busca e apreensão, aplicaram medidas restritivas e cautelares, incluindo proibição de manter contato com outros investigados e proibição de sair do país, com entrega de passaportes em 24 horas.

A operação ocorreu nos estados do Amazonas, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Ceará, Espírito Santo, Paraná, Goiás e no Distrito Federal, sob mandados expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

O presidente nacional do Partido Liberal (PL), Valdemar Costa Neto, fala com a imprensa no Centro de Eventos e Convenções Brasil, em Brasília.
O presidente nacional do Partido Liberal (PL), Valdemar Costa Neto, fala com a imprensa no Centro de Eventos e Convenções Brasil, em Brasília.
Patrocínio
banner image